terça-feira, 9 de março de 2021

Os ciclos da Economia Circular

 



Conforme publicado no post anterior a economia circular representa mudanças sistêmicas, não se limitando a redução de impactos negativos ocasionados pela economia linear, mas construindo  resiliência em longo prazo gerando oportunidades econômicas, sociais e ambientais para os negócios.

 

A Economia Circular tem dois ciclos: o técnico e o biológico. O ciclo biológico diz respeito ao tempo de renovação dos ciclos naturais do planeta. O consumo se dá apenas nos ciclos biológicos, onde alimentos e outros materiais de base biológica (como algodão e madeira) são projetados para retornar ao sistema através de processos como compostagem e digestão anaeróbica. 
No ciclo técnico são projetados para recuperam e restauram produtos, componentes e materiais através de estratégias como reuso, reparo, remanufatura ou (em última instância) reciclagem.
Esses ciclos regeneraram os sistemas vivos, tais como o solo, que por sua vez proporcionam recursos renováveis para a economia. A Economia Circular organiza-se em torno de movimentos cíclicos justamente para emular esse fluxo de renovação dos ecossistemas, em que tudo o que não é aproveitado decompõe-se e volta em forma de energia para o ambiente. 

         Existem diversas escolas de pensamentos da Economia Circular e vamos                tratar cada uma delas nos próximos posts. 


Fonte: EMF, 2021